sábado, 21 de janeiro de 2012

"Meu pinto é grande"

Nota: uma adaptação "+ leve" desse testemunho foi originalmente publicada no site: sexxxchurch.com em 2008 (hj fora do ar) s/ autoria e c/ o título: "Meu pirulito é grande".

É o que costumava dizer para meus amigos. Talvez, para compensar minha falta de aptidão no assunto. Muito embora eu busque a santidade na minha vida, possuo um passado feio e tenebroso.
Sempre fui muito “adiantado” para a minha idade, tanto que no jardim de infância meu apelido era “doutor-peladão”, desde pequeno mostrando meu pinto pra todo mundo. Recordo um dia que um casal de pastores e sua família estavam jantando em minha casa e eu saí correndo com o pinto de fora até chegar ao banheiro. Queria agilizar o processo, ao tirar as calças já antes.

Mesmo com a correção e ensinamento dos meus pais (ambos evangélicos) eu ainda continuei nesse caminho. Um dia, quando eu tinha 10 ou 11 anos fui com uma amiga de 7 ou 8 anos para um lugar bem isolado e me esfreguei nela, praticando fricção. Lembro que no 1º local fechado que eu entrei chorei e me arrependi de ter feito aquilo, prometendo que nunca mais faria algo parecido com isso, até ler a Bíblia eu li.

Não que eu não fosse crente, porque fui batizado com o Espírito Santo aos 7 anos de idade. Contudo minha vida era cheia de pecados nessa área. Foi mais ou menos nessa época (com 11 anos) que me envolvi com a pornografia. Não a fundo — graças a Deus —, mesmo assim tentava assistir a Playboy TV com seus chiados e arranhões (porque minha TV a cabo não pegava esse canal). Também acessei o site do Playboy uma vez numa Lan House, e outras vezes acessavam alguns sites eróticos, via uma foto aqui e ali.

Com 14 e parte dos 15 anos que foi terrível! Eu me vesti com uma máscara imensa. Ao mesmo tempo em que morria de vontade de ficar com as minas da escola e via vídeos com entonação erótica no youtube. Já tinha meus discípulos e por não ter beijado na boca ou me masturbado os condenava (no fundo eu queria ser igual a eles). Sempre os enchendo de perguntas e cobranças. E com isso quase todos se desviaram. Porque eu era legalista ao extremo.

“O Senhor é bom e sua misericórdia dura para sempre.”¹
Com 15 eu descobri a graça — o favor imerecido de Deus — e Ele me deu uma nova chance de fazer tudo diferente. A Bíblia diz que: “você, que julga os outros é indesculpável; pois está condenado a si mesmo naquilo em que julga, visto que você, que julga, pratica as mesmas coisas.”² Passei a julgar menos e a amar mais. Procurei o meu líder da igreja, confessei tudo pra ele e fui sarado.
Não que eu seja perfeito e não vá pecar mais. Fui liberto do vício, não de mim mesmo. Ainda que não seja uma foto erótica, pode ser um decote no orkut, ainda que não seja fricção pode ser um tesão. E Deus ainda insiste em trabalhar na minha vida...

Que privilégio é nunca ter me masturbado, beijado na boca ou visto um vídeo pornô de verdade. Mas se isso aconteceu foi pela graça de Deus, e a qualquer dia eu posso cair também. Escrevo isso porque se Deus operou em minha vida Ele pode operar na sua também. “Porque onde abundou o pecado superabundou a graça.”³ E o Pai quer que sejamos santos, assim como Ele é.


Notas:
¹_ Salmos 100.5/1Cr 16.34/Esdras 3.11/Salmos 106.1
²_ Romanos 2.1 (NVI)
³_ Romanos 5.20 (ARA)

Um comentário:

Pastor Edinaldo Domingos disse...

Amado paz do Senhor. Muito forte este seu testemunho, mas se é verdadeiro,o que importa?


Um forte abraço.




Obs. Será uma honra receber sua visita no meu blog, e quero lhe convidar para seguir o mesmo, obrigado.
pr-edinaldodomingos.blogspot.com