quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Sete propostas que Daniel recusou

1) A proposta da indiferença* – Desinteresse em face de alguém ou alguma coisa; Apatia; Negligência; Insensibilidade; Inconsciência. A base da indiferença é o não envolvimento. Apáticos somos menos vulneráveis a choques e tensões, porque não assumimos opção alguma, não contrariamos ninguém. É um pressuposto de uma sociedade de massas, politicamente correta. Quando instados a decidir os apáticos lavam as mãos como Pilatos, não apóiam nem um grupo nem outro, salvam a própria pele. O apático é, por natureza, egoísta, ele não consegue se solidarizar, se sensibilizar, se envolver. Não consegue sofrer por ninguém!

Tônica: Quanto mais apatia, melhor

2) A proposta da acomodação* - Ação de acomodar; disposição, arranjo: acomodação da vista; acomodação dos móveis. Daniel tinha poucas opções. Estava distante de casa, da família, do templo, do pastor. Poderia se incorporar à paisagem sem que ninguém notasse sua presença e viver muitos anos neste limbo. Poderia adotar o comportamento de alguém que deseja ser simpático aos amigos, condescendo até mesmo com seus erros. O acomodado quer que as coisas mudem por si mesmas. Inércia é sua palavra chave.

Tônica: Quanto menos movimento, melhor

3) A proposta da alienação* - Estado da pessoa que, tendo sido educada em condições sociais determinadas, se submete cegamente aos valores e instituições dadas, perdendo assim a consciência de seus verdadeiros problemas. Alienar-se é alheiar-se do que pode ser feito, de transformar as pessoas e seus status. Não raro o alienado é um radical. Alguém que perdeu a noção do porque está lutando, muito embora esteja municiado e pronto para o combate.

Tônica: Quanto menos influência, melhor

4) A proposta da concessão temporária – Conceder é permitir, dar, outorgar o direito a. Daniel poderia ter se permitido contaminar apenas para parecer algo empático aos seus amigos e depois poderia pensar em como mudar o rumo das coisas. É a proposta feita a Jesus pelo Diabo em Mateus 4:9. Era somente uma concessão, depois Jesus podia “seguir em frente”. Quantos não se acham prostrados ao cederem apenas um milímetro para o pecado?

Tônica: Quanto mais pontos de contato, melhor

5) A proposta da conformação – Acomodar-se, resignar-se, submeter-se: conformar-se com as circunstâncias. Conformar é tomar a forma. Uma pessoa conformada é como a massa que colocada num recipiente e levada ao forno, após cozinhar toma seu formato. O processo de conformação vai além da acomodação, faz com que o objeto resultante do processo adquira novas propriedades, em detrimento das anteriores. É o que Paulo adverte em Romanos 12:2, não vos conformeis com este mundo...

Tônica: Quanto mais parecido, melhor

6) A proposta da prática engajada sem Deus – Engajado é um termo da hora. Requerido até por empresas para contratar novos funcionários. O engajamento é necessário, afeito, entretanto, às exigências de Tiago 2:26. Sem fé não tem resíduo algum para a eternidade. Deseja-se espiritualidade, não compromisso. Prosperidade, não adoração. Cultos curtos e vibrantes, não oração. Pouco sacrifício, muita oferta para compensar as dores de consciência. O sujeito não evangeliza, mas dizima fartamente.

Tônica: Quanto mais light, melhor

7) A proposta da empatia sem santidade – Daniel não estava preocupado em ter muitos amigos, ser famoso, boa praça, bonachão ou conhecido. Também não estava preocupado em sentar ao lado rei, receber seus presentes e acenos de seus nobres. A preocupação que guiava Daniel era seu senso de transitoriedade. Ele sabia que os reinos iam passar, que a vida é breve, que o que fazemos aqui fica registrado para a eternidade e o maior tesouro que alguém pode ter é andar ao lado de Deus. Este sabia das preocupações que enchiam o coração do profeta, ao ponto de prometer-lhe: Estarás na tua sorte (Dn 12:13), sem andares em santidade hoje. Um tesouro que ninguém seria capaz de roubar!

Tônica: Quanto menos santo, melhor

*Dicionário Aurélio OnLine

Um comentário:

www.gloriosojesusblogger disse...

Muito bom! obrigada pela a oportunidade de reflexão na palavra, paz.