quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Dá-me os teus olhos



poema de João Tomaz Parreira


Esses olhos do profundo coração
tomaram-me descuidado, olhos
maiores que o meu olhar
desprevenido, como tão
silencioso entraste no meu peito
Como posso agora
que estou preso a ti por limos
verdes, invisíveis, desprender-me?
O teu olhar continuará
a prender-me a esta matéria branda
que sai da minha boca
e que se chama vida.

9/11/2010

Um comentário:

www.gloriosojesusblogger disse...

Eu amei este post, é tão lindo!Tenha uma boa noite.