quinta-feira, 13 de agosto de 2009

O Diário de Anne Frank





Annelise Marie Frank, conhecida mundialmente como Anne Frank, nasceu em 12 de junho em Frankfurt, Alemanha. Ela e sua família abandonaram a Alemanha em 1933 e foram para Amsterdã, na Holanda, ano em que os nazistas subiram ao poder. O pai de Anne, Otto Frank, era judeu, naturalizado polônes e tinha alguns contatos profissionais em Amsterdã. A pequena Anne, só chegaria a Holanda em 1934, um ano após sua família, o motivo é que passara um período com a avó na cidade de Aachen.

A família de Anne era pequena, quatro pessoas: Otto (pai), Edith (mãe) e Margot(irmã mais velha). Eles moraram por dois anos inteiros em um escritório que ficava no fundo da casa em Amsterdã. Alguns chamam de porão. Atualmente é onde se localiza "O Museu Anne frank", no diário da menina ela dá o nome de "anexo secreto". Outras quatro pessoas também faziam companhia a família, se refugiando no "anexo secreto" para se livrar dos nazistas.

"Como esconderijo, a casa de trás é ideal, ainda que seja úmida e toda inclinada, estou segura de que em Amsterdã e talvez em toda Holanda não há outro esconderijo tão confortável como a que temos instalado aqui"

O "cativeiro" da família Frank, durou de 1942 até 1944, ano em que foram capturados, através de uma denúncia anônima.Ao serem presos, foram levados pela polícia alemã até Westerbork (18 de Agosto de 1944). Um mês depois, a família é enviada em um trem de carga para Auswitz, conjunto de campo de concentração na Polônia, ocupado pela Alemanha. Um mês depois, Anne e sua irmã Margot, foram transferidas para o campo de concentração Bergen-Belsen, para trabalharem como escravas.


Mãe(Margot),pai(Otto) , Anne e Edith.

Em 1945, nove meses após a deportação para Bergen-Belsen, Margot, irmã de Anne, morre de tifo. Anne morre dias depois, da mesma doença. Duas semanas depois da morte de Anne o campo é libertado.

Crianças judias em auschwitz II (Birkenau) logo após libertação.


O Diário de Anne Frank

Durante o tempo em que viveu escondida dos nazistas, no "anexo secreto" da casa em Amsterdã, Anne Frank ganhou um diário de presente de aniversário. Esse diário recebeu o nome de Kitty, e é tratado como um amigo que ora também receberia o nome de Peter. Nele, o relato dramático de situações vividas pela família, por amigos e especialmente por ela. Anne tinha apenas 13 anos quando começou a escrevê-lo, mas demonstra uma maturidade incomum para sua idade.

Numa das anotações feitas em seu diário em 18 de Outubro de 1942, Anne diz: "Esta é uma das minhas fotografias que gosto de ver a toda hora. Então fico pensando na possibilidade de ir para Holywood".

Publicação do Diário de Anne Frank
O Pai da menina, foi o único sobrevivente entre todos que se escondiam no "anexo secreto". Otto publicou o diário da filha em 1947. Atualmente ele é traduzido em 68 línguas e é um dos livros mais vendidos do mundo.

Como encontraram o diário?
Enquanto estiveram confinados no "anexo secreto", em Amsterdã, recebiam ajuda de uma pequena família: Miep Gies e seu esposo Jan. Eles levavam alimento, livros e mantinham todos informados das últimas notícias. No dia em que os Frank foram capturados, Miep Gies, que morava bem próximo, encontrou os escritos de Anne e os guardou pensando em encontrar posteriormente a família. Otto, voltou sozinho para "o anexo secreto", Miep lhe entregou o diário.


Miep Gies


Ainda mora em Amsterdã e no dia 15 de fevereiro de 2009 completou 100 anos de idade. por muito tempo ela foi acusada por um homem chamado Van Moren de ter sido a informante secreta da polícia alemã no caso Frank. essa denúncia foi desmentida através da história e também pelo próprio Otto. Miep foi colaboradora em um livro chamado: "Anne Frank, uma Biográfia" de Melissa Muler. Também lançou o livro "Meu tempo com Anne Frank" em 1987. Em 1996 recebeu junto com o cineasta Jon Blair o oscar pelo documentário "Anne Frank".


Clique para visualizar melhor


Fontes: O Diário de Anne Frank
Enciclópedia do Holocausto
Wikipédia
Ruadajudiaria
Os 100 anos de Miep
A Tenda Na Rocha

5 comentários:

Sammis Reachers disse...

Seja muito bem-vinda a esta firma, irmã Wilma! Que suas receitas e quitutes possam trazer um novo sabor à esta Casa Confeiteira!

Deus lhe abençoe!

Wilma Rejane disse...

Amém, irmão Sammis!

E que os leitores, possam saborear os deliciosos doces que colocarmos a disposição, por aqui.

Saudações, em Cristo.

Márcio de Souza disse...

Excelente... temos poucos artigos com esse conteúdo precioso... parabéns!

Rodrigo Almeida disse...

Parabens! Artigos de qualidade para uma igreja que precisa ainda muito aprender a viver de acordo com a palavra.
abaixo as baboseiras mastigadas que recebemos.

Pastor Rodrigo Almeida

.. disse...

Parabens... mas quem afirme que Ane sobeviveu a morreu muito depois de 1945.