sábado, 11 de julho de 2009

SARNEY, o sanhaço de fogo

Apresentamos aqui uma seleção de charges de diversos artistas, sobre este tema, este homem, esta entidade que de certa maneira é o arquétipo e molde mestre de vasta gama da classe política nacional, os piores 'cidadãos' de nossa esperançosa raça.
Mas primeiro e para fixar a idéia, uma frase incrível, sensacional, de um poder de síntese que é daqueles casos clássicos em que se diz: "Puxa, sempre pensei isso, mas jamais poderia dizê-lo tão bem...":

"Diante da certeza de que eles vencerão, que jamais pagarão por seus crimes, que continuarão ricos e corruptos, e até mesmo respeitáveis, resta-nos ridicularizar suas figuras toscas, seus figurinos grotescos, seus cabelos tingidos, suas caras botocadas. Para que suas esposas e amantes leiam, e seus filhos se envergonhem deles no colégio. Como nós nos envergonhamos todo dia." (Nelson Motta).









Sanhaço, além de um prosaico passarinho, é uma gíria carioca para problema, homem desagradável e inoportuno, aborrecimento à vista...

4 comentários:

Mayalu disse...

Muito bom, copiei alguns pra mim! Ô, Sarney, ninguém merece!

Sammis Reachers disse...

É minha irmã, é difícil respeitar as 'autoridades' neste país... Ser crente é especialmente difícil neste ponto, aqui nestas terras.

Georges disse...

Sammis, lembrei de uma música antiga, do Ednardo (nem adianta que não é do seu tempo, hehehe...), Artigo 23: "O que eu queria mesmo é ser um sanhaçuuu, fazendo fiiiuuu e voando pelo azul..." ... É por aí, meu caro. O véio Sarnento tá bombando!

Sammis Reachers disse...

Georges, sou radicalmente contra passarinhos engaiolados, mas certos sanhaços deveriam ter as asas e a liberdade confiscadas, o mais rápido possível...