sexta-feira, 5 de junho de 2009

Voo 447

Poema inédito de J.T.Parreira

Voaram do grande radar dos céus
para os abismos cinzentos
dos corações.
Montavam sobre cavalos de energia,
sob as asas
monólitos de fogo.
Por um momento ainda os risos
das crianças, as blusas e as camisas
coloriram os assentos azuis.
Depois, as almas iriam partir
no sono, filtrar a luz dos sonhos,
iriam acordar para a forma
incandescente do sol,
voavam
sob olhos da noite mas para milhões
de outros olhos de prata
no território de morte e água.

2 comentários:

Oliverio Alves disse...

PAz irmao tudo bem?
sou seu seguidor seu em meu blog, e suas atualizaçoes aparecem em minha pagina incial (confira)
gostaria que vc me siguisse seu blog.
precisamos de levar o evangelho a todos..
e facinho e so ir no rodape da minha paginha e me seguir...
basta usar sua senha no google.
obrigado e na Paz irmão......

Marcos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.